VIDEOS

Loading...

LITURGIA DIÁRIA

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

II SIMPÓSIO DE FORMAÇÃO ECUMÊNICA



A Comissão Episcopal para o Diálogo Interreligioso da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), está oferecendo uma oportunidade para formar os agentes de pastoral para o diálogo. Entre os dias 19 à 22 de janeiro, em Jundiaí (SP), acontecerá o 2º Simpósio de Formação Ecumênica, que tem como tema “100 anos do Movimento Ecumênico – Evangelização e Ecumenismo”.
De acordo com o assessor da Comissão para o Diálogo Interreligioso da CNBB, padre Elias Wolff, o simpósio é importante, pois, o atual contexto de pluralismo religioso e eclesial, urge refletir sobre a relação entre diálogo e missão.
O simpósio é oferecido a bispos, presbíteros, diáconos, leigos, seminaristas, religiosos e leigos. “É uma feliz oportunidade para estudar os documentos do Magistério do diálogo ecumênico e interreligioso, refletir as perspectivas teológicas e pastorais do tema, e fazer uma experiência de convivência fraterna entre todos os participantes do Simpósio. Toda diocese, paróquia, que enviar algum representante será muito enriquecida e qualificada a respeito desse assunto”, frisou padre Elias.O simpósio é destinado a pessoas vinculadas às iniciativas ecumênicas em seus espaços de ação pastoral, religiosos, presbíteros, professores e alunos dos institutos de teologia e do ensino religioso.

As inscrições podem ser feitas no e-mail: (reservas@saocarloseventos.com.br).

Quem foi MADRE TERESA DE SÃO JOSÉ (1855-1938)



Fundadora da Congregação das Carmelitas do Divino Coração de Jesus

Madre Maria Teresa de São José nasceu em Sandow, na Marca de Brandemburgo (atualmente Polônia), no dia 19 de Junho de 1855. Filha de um pastor luterano, viveu numa família muito empenhada nas diversas atividades pastorais e caritativas. Em 1865, a família transferiu-se para Berlim. Ali, Ana Maria começou a sentir-se mal, tendo que deixar a escola, que retomou mais tarde com muita fadiga. Pela pouca saúde e em vista de continuar os estudos, em 1870 os pais decidiram mandá-la para uma escola rural. Lá, entre pessoas muito devotas, nasceu em Ana Maria o desejo de se tornar "religiosa". Vivendo em contato com a natureza, restabeleceu-se rapidamente e o seu temperamento tímido tornou-se mais aberto. Em 1874, devido ao falecimento da mãe, Ana Maria assumiu a responsabilidade da família. Após cinco anos, quando o pai casou novamente, ela pôde atuar o desejo há muito tempo cultivado: constituir uma associação de moças que se dedicassem aos trabalhos manuais, que vendidos, ajudariam as Missões.
Com a finalidade de oferecer a Deus um grande sacrifício, aceitou o cargo de Diretora do manicômio da cidade de Colônia. Estando em contato com os dementes de todo gênero, experimentou provações inenarráveis e ali esperava-a a revelação plena da doutrina católica, a qual desde sempre tinha desejado.
Contra a vontade do pai, em 30 de Outubro de 1888 foi recebida oficialmente na verdadeira Igreja na igreja dos Santos Apóstolos em Colônia. O desejo de se consagrar completamente a Deus aumentava insistentemente e, após ter lido a autobiografia de Santa Teresa D'Ávila, orientou-se para a vida do Carmelo, mas o seu confessor disse-lhe que a sua estrada não era a de entrar num convento já existente. De fato, sentia-se inspirada a dar origem a uma Congregação que, embora embebida do espírito carmelita de oração e reparação, se dedicasse também à assistência de crianças órfãs, pobres e abandonadas.
Deixou a Alemanha enfrentando inúmeras dificuldades e, depois de muito peregrinar, chegou à Itália. No ano de 1904, em Rocca di Papa, nos arredores de Roma, o Cardeal Satolli, Titular de Frascati, deu-lhe a permissão de comprar uma velha casa que se tornaria, após muitas vicissitudes, a primeira Casa-Mãe do Carmelo do Divino Coração de Jesus. Madre Teresa e as suas primeiras companheiras emitiram os primeiros votos religiosos válidos segundo o direito canônico em 3 de Janeiro de 1906. Desde então, as "Casas de São José" multiplicaram-se e difundiram-se na Alemanha e na América do Norte. Em 1920 abriu uma Casa-Mãe em Sittard, na Holanda.
Faleceu santamente no dia 20 de Setembro de 1938. A fama de santidade de Madre Maria Teresa divulgou-se a tal ponto que em 2 de Fevereiro de 1953, em Sittard, foi aberto o processo informativo. Depois da redação da Positio super virtutibus em 1992, o processo foi interrompido devido à falta de um milagre. Tinham muitos pedidos atendidos e também curas milagrosas, mas os doutores não atestaram a natureza sobrenatural das curas. Somente em 2002, depois da Páscoa, quando levaram as atas diocesanas do milagre à Congregação para as Causas dos Santos, colocaram a Madre Tauscher imediatamente em primeiro lugar para ir ao Congresso.
A 20 de Dezembro de 2002 foi promulgado o Decretum super virtutibus em presença de João Paulo II em Roma.
O processo diocesano sobre a confirmada cura milagrosa de uma senhora, em 16 de Dezembro de 1996, por intercessão da Serva de Deus Maria Teresa de São José, realizou-se na Diocese de Roermond e as atas foram entregues ao Card. José Saraiva Martins, Prefeito da Congregação das Causas dos Santos, a 6 de Abril de 2002 pelo Postulador da causa, Bonifácio Honings, O.C.D.
No dia 19 de Dezembro de 2005, o Santo Padre Bento XVI autorizou o Card. Saraiva Martins a promulgar o decreto sobre o milagre.

In http://www.vatican.va/news_services/liturgy/saints/ns_lit_doc_20060513_maria-teresa_po.html

CAMPANHA DA FRATERNIDADE -2010 - ECUMÊNICA


Tema: Economia e Vida
Lema: “Vocês não podem servir a Deus e ao dinheiro” (Mt 6,24c)

O tema da Campanha da Fraternidade 2010 Ecumênica - “Economia e Vida” – foi escolhido a partir de sugestões nascidas da consciência cristã das Igrejas-membro do CONIC (Conselho Nacional de Igrejas Cristãs no Brasil).
Na Bíblia, os pobres e todos os necessitados estão no centro da justiça que Deus exige das relações humanas e econômicas. A pobreza é produto de decisões e de políticas humanas. Reverter a situações de extrema necessidade de um elevado número de cidadãos e cidadãs brasileiros é obrigação inadiável de uma sociedade como a nossa que aspira a ocupar lugar entre os países mais desenvolvidos do mundo.
A Campanha quer contribuir a equacionar a relação entre economia, vida humana e conservação do meio ambiente vital. Reconhecendo a natureza social e política da economia, a Campanha da Fraternidade Ecumênica deve avaliar criticamente o sistema econômico hegemônico e as opções políticas dos governos a partir das condições de vida das pessoas que sofrem pelo perpetuar-se do estado de pobreza e de miséria. A Campanha da Fraternidade 2010 deve considerar os fundamentos da Dignidade Humana e a Solidariedade, pois a transformação de estruturas sociais e econômicas começa e é acompanhada por mudança profunda de mentalidade e hierarquia de valores nos indivíduos, na sociedade e na política.
Educar para uma economia de justiça e solidariedade é um dos objetivos da nossa campanha. Além de denunciar que a competição e o lucro não resolvem os problemas da qualidade de vida e da conservação do meio ambiente, a Campanha deve propor alternativas econômicas e sistemas integrados de reformas estruturais.

CALENDÁRIO DE ATIVIDADES DA COMISSÃO PARA O DIÁLOGO ECUMÊNICO E INTER-RELIGIOSO 2010 - Diocese de São José dos Campos


* Fevereiro
- Dia 20 Reunião da Comissão do Diálogo às 14h30 no CDP (Centro Diocesano de Pastoral ) - Catedral


* Março
- Dia 20 Momento Formativo para a Comissão do Diálogo às 8h30 no CDP (Centro Diocesano de Pastoral ) – Catedral


* Abril
- Dia 17 Reunião da Comissão do Diálogo às 14h30 no CDP (Centro Diocesano de Pastoral ) - Catedral


* Maio
- Dia 08 Preparação Imediata da Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, às 8h30 no CDP (Centro Diocesano de Pastoral ) – Catedral
- De 16 a 23 – SEMANA DE ORAÇÃO PELA UNIDADE DOS CRISTÃOS


* Junho
- Dia 19 Reunião da Comissão do Diálogo às 14h30 no CDP (Centro Diocesano de Pastoral ) - Catedral


* Julho
- Dia 24 Momento Formativo para a Comissão do Diálogo às 8h30 no CDP (Centro Diocesano de Pastoral ) – Catedral


* Agosto
- Dia 21 Reunião da Comissão do Diálogo às 14h30 no CDP (Centro Diocesano de Pastoral ) – Catedral
- De 27 à 29 - XV ENCONTRO ECUMÊNICO DO ESTADO DE SÃO PAULO
Local: São Pedro / SP


* Setembro
- Dia 11 Momento Formativo para a Comissão do Diálogo às 8h30 no CDP (Centro Diocesano de Pastoral ) – Catedral


* Outubro
- Dia 16 Reunião da Comissão do Diálogo às 14h30 no CDP (Centro Diocesano de Pastoral ) – Catedral


* Novembro
- Dia 20 Momento Formativo para a Comissão do Diálogo às 8h30 no CDP (Centro Diocesano de Pastoral ) – Catedral


* Dezembro
- Dia 11 Confraternização da Comissão do Diálogo ás 9h00 – Local à definir

Pe. Ademir Nunes Farias
Coordenador Diocesano da Comissão para
o Diálogo Ecumênico e Inter-Religioso